Surpresa!

Oi pessoal, já falei aqui várias vezes sobre a minha satisfação em realizar esse trabalho de legalização de documentos, para vocês que vão se casar no exterior. Fico muito feliz mesmo, quando recebo email, mensagens das minhas clientes no Facebook, WhatsApp agradecendo pelo trabalho, mas uma mocinha me emocionou ontem.

Olhem que delicadeza do novo casal, enviarem essa lembrança do casamento deles com uma mensagem de agradecimento. Fiquei imensamente feliz, me senti realmente “o cupido” 🙂 Risos!

Danielle e Karl, obrigada por confiarem no meu trabalho, desejo que a vida de vocês seja repleta de amor, alegria, saúde e companheirismo. Um abraço bem apertado e um beijo carinhoso. Parabéns pelo casamento!

Danielle & Karl

Anúncios

Para que serve uma relação?

Dráuzio Varella

Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa, à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou para cair no sono logo após o jantar, pregado.

Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas, para ter alguém que instale o som novo enquanto você prepara uma omelete, para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio sem que nenhum dos dois se incomode com isso.

Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada e bonita a seu modo.

Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.

Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem corpo um do outro quando o cobertor cair.

Uma relação tem que servir para um acompanhar o outro ao médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

Drauzio Varella é médico cancerologista, formado pela USP. Nasceu em São Paulo, em 1943.Este seu artigo está sendo divulgado pela internet.

Acabou ou não acabou?

Essa deve ser a maior dúvida de vocês que lêem meu blog… eu sei. Minhas amigas reais, as amigas blogueiras, as leitoras assíduas que vivem no silêncio, as que comentam de vez em quando e, obviamente, as que torcem contra, as invejosas, as inconformadas com a felicidade alheia. Essas então estão se coçando inteiras de tanta curiosidade e falta de informação.. hahahaha!

A vida tem seus próprios meios de mudar o curso das coisas, a verdade sempre vai prevalecer e quando há AMOR de verdade, as dificuldades são superadas. Podem respirar aliviadas, pois Espen e eu continuamos juntos, continuamos nos amando, continuamos desejando a mesma coisa, continuamos assinando o mesmo nome, continuamos sendo marido e mulher por livre e espontânea vontade. Se é que vocês me entendem… rs!

Eu sei que não expliquei direito o que está acontecendo, desde que tive que me despencar para o Brasil de um dia para o outro, mas a razão não foi o fim do meu casamento. Eu vim por causa da minha mãe. Obviamente que algumas coisas tiveram que ser replanejadas e sobre isso eu não vou comentar aqui ainda. Então é isso.. fim das especulações, ok? 😉

1º Aniversário de Casamento

Quero apenas cinco coisas..
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser… sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.

Pablo Neruda

—————————–

Primeiro aniversário de casamento… que o amor que nos une seja mais forte que as adversidades, os medos e as dúvidas. Que esse amor cresça e dê frutos e que através da nossa história outras pessoas possam entender que a vida sem amor é nada…

Parabéns meu amor, eu te amo!

Yes, I do!

Oi amigos, estive sumida mais uma vez, eu sei… mas estou de volta e com uma notícia tão  boa, mas tão boa… que vocês vão ficar felizes junto comigo.

Hoje, dia 04 de novembro de 2010, num dia frio, porém, ensolarado na Noruega finalmente disse sim ao homem da minha vida, o norueguês mais lindo da face da terra, agora oficialmente meu marido Espen!

Foi bem rápido, só casamos no civil, mas nossa.. é algo tão incrível que saimos de lá rindo à toa, meio sem acreditar no que havia acontecido. Uma jovem mulher, com sotaque britânico, celebrou nossa união em inglês para que eu pudesse entender tudo. Quando fomos marcar a data, perguntaram se queria que fosse celebrado em inglês, eu adorei a idéia, mesmo com curiosidade em ouvir tudo aquilo em norueguês.

Tudo acontece nessas horas… como adiamos muito a data, não pude usar meu  vestido de noiva. Lembram que ele veio enorme e fiquei de ajustar? Pois é.. e mesmo que tivesse feito, com a friaca que faz aqui agora eu ia morrer de frio. Usei outro vestido e um casaco e ficou tudo bem. Foi bem rápido mesmo.. acho que em 5 minutos já tinhamos feito tudo. Nem doeu… haha!

Estávamos aguardando a juíza chegar e resolvemos lá que trocaríamos as alianças de mãos. Aqui usam na direita para noivado e também para casamento, só acrescentando um outro anel para a esposa e nada para o marido, mas eu preferi trocar e usarmos os dois na mão esquerda.

A juíza falou todas aquelas coisas de “amar-vos e respeitar-vos na alegria e na tristeza na saúde e na doença, de sermos companheiros e nos apoiarmos em todos os momentos da vida, até o fim das nossas vidas”, perguntou primeiro para mim se eu o aceitava como marido e tals (tão lindo ouvir ela dizer o nome dele).. eu disse “Yes, I do”.. então perguntou a ele se me aceitava como esposa (engraçado ouvir meu nome aqui), ele respondeu “Ja”. Para quem não sabe o J aqui tem som de I, então o som é Yah. Trocamos alianças, ela disse “now you can kiss the bride” e enfim o famoso, “Eu os declaro marido e mulher”. Não deu nem tempo de chorar.. mas meu coração estava inundado de felicidade e amor, o sorriso constante no rosto e os olhos brilhando.

Hoje meu coração está em festa, cheio de amor… muito amor. Esse poema eu dedico ao homem que amo hoje e vou amar por toda minha vida.

Eu não existo sem você

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você

Vinícius de Moraes

Soneto da Fidelidade

Soneto da Fidelidade
Vinícius de Moraes

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Eu Sei Que Vou te Amar
Tom Jobim
Composição: Tom Jobim / Vinícius de Moraes

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar
E cada verso meu será
Prá te dizer que eu sei que vou te amar
Por toda minha vida
Eu sei que vou chorar
A cada ausência tua eu vou chorar
Mas cada volta tua há de apagar
O que esta ausência tua me causou
Eu sei que vou sofrer a eterna desventura de viver
A espera de viver ao lado teu
Por toda a minha vida

No vídeo, a música é cantada por Paulinho Moska (versão no Álbum Olha que coisa mais linda – Homenagem a Tom Jobim). Fiz o vídeo para o meu amor Espen.