Tudo ao mesmo tempo

Sabe quando as coisas que você planeja estão funcionando,  seguindo seu curso normalmente e de repente uma sucessão de acontecimentos inesperados muda tudo? Pois é… que minha vida nunca foi feita de facilidades, não é novidade, mas eu estou tão nervosa com a mudança de país, com meu casamento que tudo parece ser MAIS do que é realmente. Mais chato, mais lento, mais burocrático, mais (insuportavelmente) difícil de realizar. Tem dias que eu tenho vontade de sentar e chorar, chorar muito, chorar tudo que está preso aqui no meu peito.

É a saudade do Espen, é a dor da distância, é o medo do desconhecido que me espera na Noruega, é a culpa de estar indo embora deixando minha mãe sozinha, é a preocupação sobre como ela ficará sem mim, são os problemas com a quebra do contrato de aluguel (eu não esperava conhecer alguém e me casar em tão pouco tempo, menos de 36 meses!), é a procura por um lugar para ela ficar, é o planejamento de como vou me desfazer, vender, doar os móveis que não vou usar, informações sobre o envio de móveis e algumas coisas que não caberão na mala, e o custo disso.

Sem falar na pressão que vivo em casa, minha mãe me dando sustos porque a diabetes dela anda descontrolada, todos os dias tem hipoglicemia (quantidade de açúcar no sangue menor do que o necessário para nos mantermos bem), minha avó está no CTI há uma semana e isso afeta minha mãe. Ahh e na quinta passada meu filho ligou quando eu saía do trabalho para avisar que minha mãe estava desmaiada de novo por conta de uma violenta hipoglicemia e eu presa na merda da Barra da Tijuca! Sim, aquilo lá é um buraco.. na hora que eu saio do trabalho é um horror o engarrafamento. Voltei na maior tensão, rezando para chegar logo.. mas tudo acontece né? Chamamos o SAMU que óbvio demorou a vir, chamei a AMIL, que também não poderia chegar em menos de 3 horas (!!!!), chamei três empresas de taxi e não conseguia alguém que viesse me acudir, porque os motoristas não podem fazer o serviço de “carregar” pessoas! Porra… onde fica a solidariedade desse povo? Eu só precisava que alguém me ajudasse a descer as escadas com ela, é magrinha mas pesa né?!

Os vizinhos é que me ajudaram, pararam um taxi na rua e me ajudaram a colocá-la no carro. Fomos eu e meu filho para o hospital… achei que dessa vez ela não voltaria. A glicose estava em 32, o normal é entre 90 e 120. Diante disso eu tive que conversar com ela e convencê-la que é muito complicado ficar sozinha num apartamento com uma empregada. Quem depende de empregada sabe como é… a nossa por exemplo, não veio a semana toda e nem deu satisfação, e se ligarmos ela não atende. Eu só aceito empregada aqui porque trabalho fora (e longe) e porque ela fica em casa e precisa de alguém ajudando, mas eu não gosto de estranhos dentro da minha casa, mexendo nas minhas coisas.

Vamos aguardar o que a vida nos reserva, mesmo com medo eu ainda acredito que tudo terminará bem. O ruim é enfrentar isso tudo, sinto muito medo, fico com uma sensação ruim dentro do peito. E a sensação de que a vida está passando numa velocidade muito grande e eu não consigo acompanhar.. por isso eu sempre peço para parar tudo para eu descer do bus, do trem, do avião..!

Haja reza, haja orações, preces e tudo que puder me ajudar, me proteger…

Anúncios

6 comentários sobre “Tudo ao mesmo tempo

  1. Oi Adriana, obrigada pelas dicas/conselhos.. sempre são bem vindos e acabam por nos dar uma luz qdo já não sabemos por onde começar.

    Adore ler, adoro meus livros.. mas não sou apegada demais a isso, os que quero levar são dicionários, livros que ainda uso de exercícios de inglês. Os romances, dramas e etc ficarão por aqui mesmo, doados para uma biblioteca ou para uma amiga que adora ler tb.

    Os sapatos… só vou levar o que vou usar, herdei mtos da minha irmã que faleceu e nem todos vou realmente usar, vão ser doados tb, mas ainda que eu leve alguns (meus sapatos de inverno nem sonham em pisar na Noruega, tenho consiência que terei que comprar outros por aí.

    Minha mãe é meu maior entrave, problema nesse momento. E rola chantagem.. todo santo fim de semana tem briga, pq ela muda de idéia como quem muda de roupa e aí sai de baixo. Eu só vou resolver quando estiver bem próximo, pois aí não tem conversa de “e se …” será “é ou não é” entende?

    A minha irmã assumiu esse papel, ela passou a ser a mãe da própria mãe.. e olha no que deu. Não quero isso para mim e não sou feliz vivendo desse jeito. Enfim, luto todo dia contra esse comportamento dela, e tb contra o meu qdo me deixo levar, e tb contra a culpa. Algumas pessoas são mestres em nos fazer sentir culpados.

    Estou tentando não pensar mto no lado ruim da história e continuo contando os dias para começar vida nova. Beijos

  2. Um conselho ( ou vários ) de quem embarcou nessa viagem há 7 anos:

    Bagagem: se vc não aprender a ser prática vc não vai sobreviver àmudança. Trazer livros pra que? Você vai ler e vai pra estante juntar pó, se você faz absoluta questão, compre um ereader e baixe ( ou compre ) os títulos que você quer. Ser emocional e trazer de enfeite não é inteligente, pensando no trabalho que dá. Trazer sapatos? Pra quê, sapato brasileiro, mesmo os de inverno, você vai usar por essas bandas 2 meses por ano, de resto TEM que ser sapato feito aqui. Fotos? Digitais, aqui custa um vintém imprimir, e se vc tem foto que não é digital, digitalize. Pense que sua mãe vai gostar de ficar com as originais ( minha mãe amou ).

    Sobre a sua mãe. Eu passo exatamente pelo mesmo problema com a minha. E eu tenho hipoglicemia também. Se sua mãe é como a minha, ela não se medica direito, faz o que não deve, acaba morrendo de dor numa cama ( minha mãe tem artrite reumatóide ). Tive que aprender que minha mãe não é uma criança e eu o adulto responsável, ela é dona da vida dela e responsável por remédios, fisio, e whatever. Eu sentei minha mãe numa cadeira há alguns anos e disse exatamente isso. Ela está se cuidando um pouco melhor agora. Mas o importante é não se sentir culpada porque não é sua culpa!

    E muito muito muito importante, jogue o medo da imigração de lado e concentre no lado legal, mudar de país ver coisas novas, viajar, e finalmente estar morando com seu novo parceiro. O resto, believe me, se ajeita. Pode demorar, mas se ajeita.

    Boa sorte!

    Adriana
    .-= Adriana ´s last blog ..Estou apaixonada! =-.

  3. Poxa, Dani. Qta angustia. Mas parece q as coisas nunca são fáceis, mesmo. Só q no fim tudo acaba bem.
    Eu imagino o problema com a sua mãe. Mas ela não vai ficar completamente sozinha, vai? Ela está bem agora? E sua avó? Nossa qta pergunta!
    Respira fundo aí e fique bem!

    bjos
    .-= Babi´s last blog ..Mulher sofre =-.

    Oi querida, acho que a vida é assim mesmo, quando estamos pertinho de realizar algo importante, bacana e que queremos muito o caminho começa a afunilar e os problemas parecem aumentar.

    Minha avó está bem, finalmente voltou para casa.. mas inspira cuidados, pela idade e pelo problema no coração. Por enquanto ainda não resolvemos onde minha mãe ficará, mas se conseguirmos desfazer o contrato aqui sem maiores aporrinhações e gastos, ficará bem melhor.

    Babi eu não queria deixar ela sozinha, mas em algum momento isso vai acontecer.. mas podemos encontrar um ap perto de uma amiga dela ou meu tio pode ir morar com ela. Eles tem conversado sobre isso, eu acho que essa é a melhor idéia, pq ele tb está saindo do casamento, precisa de um canto para ele. Aí um ajuda o outro, torce aí amiga! Obrigada pela força, beijo grande.

  4. Ai Daniela, é complicado mesmo, mas tudo vai dar certo no final, a gente passa um sufoco mas Deus ajuda.
    Estou torcendo por você. Espero que você encontre um lugar legal pra sua mãe, eu também sou difícil de confiar nas pessoas pra colocar dentro de casa.
    Eu moro em Sandnes, perto de Stavanger, fica bem ao sul, não sei conheco o local onde você vai morar, mas acredito que fica no meio da Noruega, talvez umas 6 ou 8 horas daqui. Não conheco brasileiros por lá, mas provavelmente tem, aqui está cheio de brasileiras e brasileiros.
    Fiz amizades legais aqui, com brasileiras e outros estrangeiros, e o povo norueguês é muito recepitivo, caloroso, pelo menos por onde eu moro.
    Traz uns livros do Brasil. Eu infelizmente nem trouxe quando vim nem da outra vez que fui ao Brasil, espero ter tempo da próxima vez. Mas tem alguns nas bibliotecas daqui, e se não tem na sua cidade, vocë pode reservar na biblioteca de lá que eles pedem o envio da biblioteca que tem pra lá. Podemos ficar com o livro por um mês e renovar por mais dois o empréstimo, salvo se alguém tiver reservado, mas isso quase nunca acontece. Outra saída que encontrei pra manter a leitura em português em dia foi baixar livros na net, leio no computador, näo é tão interessante, mas a gente acaba acostumando.
    Se precisar de algumas dicas, de bater papo ou outra coisa, estou a disposicão.
    E muita boa sorte pra você em tudo.
    Ah, só agora consegui deixar comentário aqui e pude te responder.

    Beijo
    .-= Luciana Håland´s last blog ..O saldo da festa =-.

    Lu, vou começar a separar os livros que quero levar, vou mandar junto com algumas coisas que não caberão na mala… sapatos, bolsas, roupas..hahaha! Mulheres… sem falar nos objetos que o Espen vai querer que eu leve daqui, coisas para casa. Assim que me instalar podemos trocar informações sobre as bibliotecas e tudo o que vc achar que me será útil por aí. Obrigada pelo carinho e por ter vindo me deixar uma msg. Bjs!

  5. Oi Roney.. te respondi por email, mas fica aqui tb meu agradecimento. Ainda estou pensando e vendo o que poderemos fazer. Com relação às acompanhantes, vou querer os contatos sim… mas te escrevo qdo estiver com isso mais resolvido, ela precisa de alguém para sair de vez em quando para ir ao banco, médicos etc. Bjs

  6. Moramos com a minha sogra em grande parte para cuidar dela e entendo bem seus dilemas…

    Sabe, tive uma ideia depois de ler seu post, e se voce achar um apartamento para ela perto de um bom hospital e criar uma lista de uns 15 amigos que possam cuidar dela? Gente bem conectada que voce possa alcançar mandando um email coletivo?

    Tenho tambem uns contatos de boas aompanhantes. se quiser me pede por email.

    De uma coisa eu tenho certeza: tudo vai dar certo sim!
    .-= Roney Belhassof´s last blog ..Século XXI: O século ciberpunk =-.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s